Duas formas de se fazer Shiatsu




http://planofeminino.com.br/wp-content/uploads/2015/01/shiatsu.jpg
Segundo a medicina tradicional chinesa, todo ser vivo tem uma capacidade de autorregulação natural. Isso reflete a integração do homem com o meio ambiente, e também do homem com sua própria fisiologia. Propriedade esta também denominada como homeostase.
Um desequilíbrio de saúde - seja de ordem física, emocional ou mental - é visto como uma falha desse sistema de autorregulação. Quando isso ocorre, o organismo começa a manifestar uma variedade de sintomas. Nesse sentido, as terapias integrativas e complementares podem fazer com que o corpo retome sua capacidade de equilíbrio e de autorregulação. O shiatsu é uma terapia que utiliza a pressão  sobre a pele com o intuito de prevenir e curar a doenças pela estimulação  da recuperação natural do corpo, eliminando elementos que produzem fadiga e promovendo a saúde.
Existem duas formas de obter esse equilíbrio por meio do shiatsu, através do zen shiatsu e do shiatsu pés descalços, vamos conhecê-los:
Zen shiatsu ou meditação pelo toque
Desenvolvido através do conhecimento milenar da medicina chinesa e influenciado pelo zen budismo ou filosofia zen, esta variedade do shiatsu pode ser traduzida como "meditação através do toque". A união do zen ao shiatsu ultrapassa a pressão dos dedos sobre os pontos energéticos, intensificando a troca de energia entre terapeuta e paciente, através da massagem e da meditação.
Shiatsu pés descalços
Nesta modalidade, o terapeuta trabalha, durante todo o atendimento, predominantemente com os pés, e não com dedos, polegares e palmas das mãos, como ocorre no shiatsu tradicional. Essa prática também se diferencia do zen shiatsu, no qual o terapeuta utiliza manobras com o uso de cotovelos e joelhos.
No shiatsu pés descalços o terapeuta fica em pé e utiliza os próprios pés - em alguns momentos com pisadas parciais e outros com pisada total (manobra realizada com os dois pés) - sobre o corpo do paciente. A ação gravitacional é utilizada ainda com maior função, pela própria postura do terapeuta.


Comente:

Nenhum comentário