Passos para tratamento de Endodontia






Todos os dentistas são aptos a tratar uma dor de dente e um canal, porém é o endodontista que conhece mais profundamente sobre diversas técnicas e casos, apresentando um domínio e um conhecimento mais profundo, além de mais destreza e experiência sobre o assunto. Por estes motivos, alguns dentistas preferem encaminhar alguns casos mais específicos para um colega especialista.
De nada adianta ter dentes alinhados e aparentemente saudáveis, se sua estrutura não anda da mesma forma. As causas mais comuns para a infecção ou morte da polpa são uma cárie dentária muito profunda, um dente fraturado, uma agressão, pancada recente ou mais antiga. Se não for realizado o tratamento, pode surgir um processo infeccioso.
O primeiro passo é remover a polpa. Para tanto, é tomada anestesia local. Com a broca, é feita uma abertura na coroa do dente para acessar o tecido pulpar e com um instrumental específico, o remover.
O espaço onde a polpa se encontrava e os canais que ficam nas raízes são esvaziados, alargados, irrigados e desinfeccionados para seu preenchimento com material obturador específico ou curativos.
Uma restauração temporária e provisória é feita para selar o que foi acrescentado, também com o objetivo de proteger o dente no intervalo entre as consultas.
Na visita seguinte ou quando o tratamento endodôntico estiver finalizando, a restauração provisória é removida e a cavidade pulpar e os canais são preenchidos permanentemente, e aí uma restauração definitiva é realizada, de modo a readquirir a aparência natural do dente.
A endodontia, além de eliminar os sinais e sintomas citados anteriormente e tratar patologias ligadas à polpa, salva e mantém o dente em boca, esquivando futuros custos com implantes. Também evita complicações e em conjunto com a posterior reconstrução, devolve ao dente sua função mastigatória.
Tenha Artigos de Endodontia para leitura - para estudantes e profissionais.

Clique aqui e tenha informação por Whatsapp

Comente:

Nenhum comentário